Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Email

Fraude no saque do FGTS emergencial

Saiba como se prevenir dos golpes realizados.
Como anteriormente divulgado, devido a pandemia do vírus COVID-19, que causou grande impacto na economia e na renda dos trabalhadores, o Governo Federal, através da Caixa Econômica Federal, liberou o saque emergencial do FGTS, no valor de até R$ 1.045,00.

Mas, golpistas têm utilizado esse momento para efetuar artimanhas, fraudando informações dos trabalhadores, para levantar os valores liberados à título de FGTS. Após conseguir o número do CPF do trabalhador, o falsário, através do aplicativo utilizado para movimentar a conta digital
aberta automaticamente pela Caixa Econômica Federal para todos que têm FGTS, altera a senha e o e-mail informado pelo trabalhador.

Em posse desses dados, o golpista efetua a transferência dos valores do FGTS da vítima para uma conta bancária da qual tenha acesso.

Nesse caso, o trabalhador deverá comparecer com urgência a uma agência da Caixa e abrir uma contestação, repassando todas as informações e requerendo a devolução do dinheiro. Na negativa da Caixa, deverá o trabalhador realizar um boletim de ocorrência, relatando o prejuízo.
Comprovada a fraude, a Caixa Econômica Federal não poderá se recusar a devolver os valores levantados por fraudadores ao trabalhador, pois nesse caso, a responsabilidade do banco é objetiva, ou seja, como ente público, responde pelos prejuízos causados independente da culpa, considerando que o consumidor confia nos serviços prestados, além da necessidade de zelar pela segurança do aplicativo disponibilizado.

Caso todos os recursos disponíveis ao trabalhador indefiram a devolução dos valores, esse deverá ingressar na Justiça, ingressando uma ação que garanta o retorno dos valores ilegalmente levantados por terceiro.

No mais, considerando que a fim de viabilizar o saque emergencial do FGTS, a Caixa criou contas online para todos os trabalhadores, é importante manter os dados no aplicativo sempre atualizados e que o usuário verifique a data que seus valores serão liberados para não deixar o dinheiro disponível no aplicativo por longas datas.

A FGTS de Emergencial tem dois calendários, os calendários de depósito e retirada e transferência. Embora o benefício não seja liberado para retirada, os golpistas baixam o aplicativo, preenchem os dados, realizam
verificações de segurança e podem acessar o valor.

Para não cair em golpes, o trabalhador deve se cadastrar no site oficial do FGTS e no aplicativo. É importante verificar se o link possui certificado, basta verificar se possui o termo https. O “S” indica que a conexão é segura para entrada de dados.

O mesmo vale para a imagem de um cadeado antes do endereço. Nesse caso, o usuário pode clicar neste cadeado para verificar o certificado de segurança e sua data de validade.

Compartilhe agora:

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Email

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência no nosso site.

aviso
×